freando-deactivated20140726

minha-vida-e-voce:

Essa não é uma história como as outras com o famoso e clichê ”final feliz”, muito pelo contrário, essa não tem final. Sabe quando você conhece uma pessoa e já acha que ela é o amor da sua vida? Esse não é o caso aqui. Quando eu a conheci foi como nos filmes, tinha certeza de que ela era o amor da minha vida, mas será que eu era o amor da vida dela? De qualquer forma eu não me importei com o fato de talvez ela não me querer, apenas a convidei para sair. Fiquei inseguro, será que seria deselegante demais segurar em sua mão? Será que ela gostaria de mim? Um cara com um cabelo estúpido que acha que dançar música lenta é a coisa mais ridícula do mundo. Que garota gostaria de um cara assim? E ainda por cima um cara que não sabe nem se vestir. Eu realmente fiquei com medo do que ela pensaria sobre mim, mas por que tanto medo? Ela já tinha aceitado o convite, não? Sinceramente acho que meu coração nunca bateu tão rápido quanto no dia em que vi ela parada na porta do cinema me esperando. Ela foi. Eu não acredito que ela foi. Vou ser sincero, achei que assistiria o filme sozinho, mas não, ela foi junto, ela deixou eu segurar em sua mão e ainda riu de todas as minhas piadas sem graça. E vou confessar, o sorriso dela era lindo. Quando ela sorria eu me derretia todo por dentro. Saímos outras vezes, ficamos outras vezes e namoramos bastante também. Ela era o amor da minha vida. O amor da minha vida que gostava de tomar toddynho todo dia de manhã, de usar meia com chinelo e de dormir de conchinha. Eu odiava dormir de conchinha, mas ela gostava e mesmo eu me sentindo desconfortável eu não ligava, porque era amor e só de ter ela nos meus braços, todo o desconforto passava. Sabe que eu sinto sua falta como nunca senti a de ninguém. Sinto pelo dia em que ela viajou e eu inventei uma desculpa qualquer só para não ter de ir junto. Se eu pudesse voltar nesse dia, eu iria junto. Eu ficaria ao  lado dela e nunca a deixaria sozinha. Eu me sinto culpado por tudo o que aconteceu, queria ter ido embora junto com ela. Ela era minha estrela e eu acabei a perdendo, acabei a deixando partir e agora me sinto culpado. Se ela pudesse será que aceitaria minhas desculpas? Ah mas o que isso importa agora? Eu já a perdi não é? Todos dizem que tinha que acontecer e que agora ela está aí, olhando por mim. Mas não era para isso acontecer. Era para ela estar aqui, era para nós estarmos dormindo de conchinha ou tomando toddynho. Era para ela estar me batendo por ter dito que a vizinha do 103 é bonita ou então para estarmos disputando beijos no vídeo game. Por que ela teve que ir? Por que ela me deixou? Sei que a culpa disso não é dela, mas por que isso teve que acontecer? Eu não aguento mais ficar aqui sem ela. Não aguento mais ficar sem sua mania de usar meia com chinelo ou de mexer no meu cabelo logo de manhãzinha quando ela acordava. Sabe que agora eu fiquei sem ninguém para conversar, me fechei do mundo. Eu sei que se ela estivesse aqui me mandaria seguir em frente e esquecer tudo o que aconteceu. Mas com quem eu iria seguir em frente? Com a vizinha do 103? Eu não quero ela, eu quero você, só você. Eu não te via fazia 7 meses, quando te vi onde você estava? Estava dormindo para nunca mais acordar. Só me promete poder ver seu sorriso de novo? Só mais uma vez? Escritora de Cafeteria.

freando-deactivated20140726
Eles terminam, mas ainda se amam, por vingança ou mera vaidade, ele decide se entregar a primeira que passa pra mostrar o quando aquilo não o afeta, mas o afeta, e nem percebe que está procurando uma história que não convêm pra nenhum dos lados. Ela sente uma certa inveja por saber que ainda sente algo por alguém que parece não se importar com isso, mas agora ele está com outra, e ela finalmente percebe seu coração fora do lugar. Com o tempo acabam se tornando amigos outra vez, e as perguntas são inevitáveis - e aí? se sente feliz agora? - me sinto muito bem - Mas não se sente, imbecil. Vive com a certeza de que deixou pra traz não só um relacionamento, mas a certeza de uma felicidade absoluta. Ele nunca disse a falta que ela faz, a história sempre se conclui com dois idiotas orgulhosos que vivem na saudade, mas não adimitem o quanto precisam um do outro.
Sean Wilhelm.       (via freando)